Os efeitos fisiológicos da Manipulação Articular – # Sistema Imunológico

Esta publicação abordará um pouco dos efeitos fisiológicos das manipulações vertebrais, ou seja de uma das técnicas usadas para ajustar, mas é importante que tanto os Quiropraxistas quanto os pacientes tenham em mente que o ajuste tem o objetivo de remover a subluxação, e não de lidar com os sintomas ou benefícios que possam ser descritos aqui.

Otimização imunológica

A manipulação articular envolve diversos sistemas corporais e reações fisiológicas e é bastante difícil listar e estudar minuciosamente cada uma delas.

Uma das reações estudadas é o aumento de neutrófilos no sangue após a manipulação torácica.

Os neutrófilos são células de defesa do nosso organismo (sistema imunológico)  responsáveis, dentre outras coisas, por destruir partículas estranhas ao nosso corpo. Há um aumento de neutrófilos por exemplo, em casos de pneumonia, tonsilite, meningite, dentre muitas outras doenças.

Um estudo demonstrou que 15 minutos após a manipulação torácica, o número de neutrófilos na corrente sanguínea é maior do que antes da manipulação. Ainda neste mesmo estudo, observou-se curiosamente que 30 minutos depois da manipulação, o número já havia voltado ao normal.

Dessa forma, esses dados não significam que ao recebermos manipulação articular na coluna torácica ficamos mais resistentes às doenças, mas são necessários novos estudos e cada vez mais detalhados para melhor compreensão destes efeitos.

Vale lembrar também, que nem todas as técnicas de ajuste fazem uso da manipulação articular, e que mesmo a manipulação articular como forma de ajuste, quando usada para outro fim que não seja remover  a subluxação, não deve ser chamada de Ajuste.


Bibliografia

Brennan PCTriano JJMcGregor MKokjohn KHondras MABrennan DC. Enhanced neutrophil respiratory burst as a biological marker for manipulation forces: duration of the effect and association with substance P and tumor necrosis factor. JMPT. 1992.