Postura

Por Rafael Rodarte

Quais as influências de hábitos posturais na nossa vida? Você já deve ter escutado por aí sobre alguns problemas gerados por ela, que a grande maioria enfoca a parte mecânica.

Quem fica com o pescoço pra frente por muito tempo, muda o eixo de gravidade da coluna cervical e antecipa processos degenerativos no disco e articulações intervertebrais. Quem fica com a coluna arqueada tende a ficar "corcunda", causando sobrecarga em articulações específicas, principalmente na região torácica e alteração de tônus em alguns músculos. Quem senta sobre uma carteira que está no bolso de trás promove um desequilíbrio pélvico e assim por diante.

Mas você já ouviu falar que determinada pessoa tem uma postura exemplar ou inadequada em determinada situação? Por exemplo a história em que um homem achou um boleto de conta com dinheiro, foi ao caixa de banco e efetuou o pagamento do boleto desconhecido. Este homem sustentou uma postura altruísta, onde deu pra outra pessoa o que gostaria de receber. Já ouvimos também sobre pessoas indiferentes e intolerantes, que assim sustentam uma postura arrogante (com certeza pessoas bem distantes de nós!). 

Passamos então a entender que postura é algo mais que o posicionamento espacial do corpo. Tange o comportamento humano. É a forma como nosso meio interno se relaciona com o meio externo. Como lidamos com as questões que nos são apresentadas. E o corpo? Ele reage aos estímulos dos nossos padrões emocionais e racionais. Os humanos têm uma característica divina, que a é capacidade de criar. Estamos sempre criando, dentro e fora. Quando não nos preocupamos com as nossas criações, estamos sujeitos a criar algo desagradável, dentro e fora.

Nosso corpo está sempre se transformando. O corpo de hoje é reflexo do que vivemos no passado, e o que vivemos hoje é a semente do corpo de amanhã. Estamos sempre unindo os tempos na composição física. Cuidar da postura é cuidar da posição que adotamos nos nossos relacionamentos. Com pai e mãe, com cônjuge, amigos, sociedade, com as pessoas no metrô, trânsito, cinema, trabalho... E o corpo obedece. Vamos criando formas e o corpo materializando-as. O domínio total destas criações soa como utopia, mas dando pequenos passos podemos ver significativas transformações.

Levando um olhar atencioso ao corpo, podemos sentir determinado músculo contraído sem necessidade mecânica, e ao relaxá-lo, ganhamos espaço interno, que pode ser preenchido com positividades. Assim podemos devagar, construir uma personalidade mais harmônica e um padrão postural menos defensivo e mais propenso ao amor. O corpo é uma ponte que pode nos aproximar ou afastar, e depende apenas das nossas escolhas para que tenhamos mais união na nossa vida.

Se dar forma a um padrão físico é criação, adotar um padrão postural saudável significa buscar a plenitude. Criemos então espaço para o amor! Postura é a atitude do corpo.

E quem manda no seu corpo?