Intenção e Visão

O que é que você está tentando fazer quando você entrar na sala de atendimento e coloca suas mãos sobre uma pessoa, uma criança, um avô?

Se a integridade do sistema nervoso é a base da saúde, então cada pessoa precisa ser checada para subluxação da mesma forma que as pessoas são têm sua pressão arterial checada.

Clareza! Nós não estamos tentando tratar uma dor torácica, dor no pescoço ou dor de cabeça, embora sejam muitas vezes sinais de subluxação, e mesmo que esses sintomas muitas vezes melhorem com os ajustes.

A preocupação real é que a subluxação diminui a expressão de vida ao longo do sistema nervoso.

Diga às pessoas o que você faz, e continue fazendo isso.Nem todos eles irão entender, mas no final, se você fizer isso, você vai guiá-los, e eles te seguirão por causa de sua clareza.

Isso não acontece da noite para o dia, mas faça a sua luz tão brilhante que você possa atraí-los para fora da escuridão, confusão e ignorância.

Joe Borio, D.C.

As diferentes análises da Quiropraxia

A Quiropraxia dispõe de muitas técnicas e "ferramentas" para avaliar as pessoas. Essa é uma das razões pelas quais cada quiropraxista parece ser tão diferente um do outro.


B.J. "Holmes" - Maior desenvolvedor da Quiropraxia
 Desde a criação da profissão (1895), muita coisa mudou e foi agregada por diversos quiropraxistas. Novos testes, novas análises, novas maneiras de ajustar, novas pesquisas e descobertas, tudo isso fez do primeiro século de vida da profissão um tipo de "Golden Age" na qual a Quiropraxia prosperou e cresceu rapidamente. 

 Com tanta informação, as vezes fica difícil para as pessoas entenderem porque os quiropraxistas usam muitas análises diferentes na hora de determinar onde e como fazer Ajuste.

Dado esse contexto, vou comentar algumas das principais ferramentas quiropráticas e seu uso.

Análise Visual - Essa foi a primeira ferramenta  utilizada na Quiropraxia, por D.D. Palmer pouco antes do primeiro Ajuste. Atualmente, a análise visual pode avaliar postura, movimentação, coloração da pele, e muito mais. Enquanto algumas técnicas não utilizam mais esse tipo de análise, outras a tem como seu primeiro quesito de avaliação.

Palpação - A palpação foi a segunda ferramenta  utilizada na Quiropraxia. Ela pode ser usada para avaliar movimento (palpação dinâmica), textura da pele, má posições nas articulações, alterações mais significativas de temperatura, dentre outras coisas. Talvez seja o procedimento mais utilizado dentro da profissão, se considerarmos todas as suas aplicações.

Radiografias (Raio X) - Diferente do que se pensa, a radiografia não é usada para encontrar uma subluxação, mas sim para determinar a listagem, para descobrir como a vértebra está posicionada. Mas como nem todo desalinhamento é uma Subluxação, somente observar o desalinhamento na radiografia, não é suficiente para determinar que o Ajuste é necessário.

Mensuração das Pernas (Leg Check) - Talvez um dos testes mais utilizados dentro da profissão, o Leg Check pode informar muita coisa! Dependendo da técnica, esse teste determina qual a vértebra que precisa de ajuste, como esse ajuste deve ser feito, se a SacroIliaca está comprometida, ou simplesmente se a pessoa precisa ou não ser ajustada. O Leg Check possui muitas interpretações diferentes pois foi estudado por muitos quiropraxistas diferentes e cada um desenvolveu um tipo de análise sobre ele.


Instrumentação (Nervoscopes, Thermoscans, etc) - Ainda pouco comum no Brasil, existem diversos instrumentos que são usados pela Quiropraxia para avaliar direta ou indiretamente assimetrias e desequilíbrios do Sistema Nervoso, que ocorrem quando a pessoa está Subluxada. Dessa forma, a instrumentação é mais um teste de "Quando" o ajuste é necessário, do que os outros acima, que costumam responder "Como" e "Onde" fazer o ajuste. 

Esses são algumas das ferramentas mais tradicionais na avaliação Quiroprática para a Subluxação Vertebral. Existem incontáveis outros procedimentos que serão abordados em um outro artigo, pois além de não serem tão comuns, costumam fazer parte de protocolos específicos de técnicas como o Activator Methods, SOT, Thompson, etc.

Três passos para entender a prática da Quiropraxia





Quando falamos na "capacidade natural do corpo humano de se manter bem, equilibrado e saudável" algumas pessoa pensam que estamos falando em  uma crença, em metafísica ou por fé, e esse é um erro que precisa ser esclarecido.


Há algum tempo já temos pleno conhecimento da Lei da Homeostase. Lei pois se trata de uma constante, uma verdade científica observada e comprovada. É a respeito dessa Lei da Homeostase que estamos falando quando citamos a capacidade dos seres vivos de se curarem e se manterem vivos.


Para que o corpo possa se manter nesse estado de homeostase, de equilíbrio e bom funcionamento, ele precisa ter controle de seu estado atual, ter padrões de referência do que é necessário para se manter bem e ter capacidade de interagir com o ambiente de modo a adaptar/evitar forças que possam prejudicá-lo.

Três capacidades indispensáveis estão quase que totalmente sob responsabilidade do sistema nervoso: auto-regulagem, referências de funcionamento e adaptabilidade em relação ao ambiente. Ou seja, é o sistema nervoso quem empenha esforços para gerenciar o equilíbrio e vida do nosso corpo.


Sabemos que quando a coluna não funciona bem, o sistema nervoso é afetado, e o equilíbrio do corpo é deturpado em uma sequência de alterações que se acumulam e aumentam progressivamente a desarmonia no corpo. Durante um longo período de tempo, a pessoa não sente os prejuízos, eles estão no que chamamos de "sub-clínico", mas o corpo já deixou de funcionar com toda sua capacidade, a pessoa já não desempenha mais o seu potencial máximo de vida e saúde.
O estágio seguinte a essas desarmonias não perceptíveis é o desenvolvimento de doenças/lesões, e isso pode ocorrer por diferentes razões que vão de pequenas alterações químicas crônicas a movimentos repetidamente mal realizados. 

A Lei da Homeostase e a interferência que a coluna pode causar no sistema nervoso, explicam de modo simples o raciocínio da prática da Quiropraxia. Fica evidente que o objetivo da quiropraxia não é tratar uma hérnia de disco, melhorar uma dor lombar, etc., essas condições nos oferecem, no máximo, informações sobre qual região da coluna pode estar interferindo no sistema nervoso e prejudicando o equilíbrio da vida neste corpo.

Então:

- O corpo é um organismo vivo que está em constante adaptação e auto-regulagem para se manter vivo e saudável da melhor forma possível.


- O sistema nervoso desempenha papel central no processo de manter o corpo vivo e saudável.

- A coluna e o sistema nervoso estão intimamente ligados, e é o objetivo do quiropraxista evitar que a coluna interfira no funcionamento do sistema nervoso para que o corpo possa funcionar de acordo com sua natureza.