Conhecendo um pouco da SOT (Sacro Occipital Technique)

Dentro da Quiropraxia existem diversas técnicas, criadas por diferentes Quiropraxistas, sendo que o que caracteriza uma técnica de Quiropraxia é o seu objetivo e capacidade de remover as subluxações.

Esta publicação abordará brevemente a SOT (Sacro Occipital Technique).

A SOT foi desenvolvida por Major Bertrand DeJarnette baseado em suas observações, estudos e investigações clínicas.

Os objetivos da SOT são diagnosticar e tratar desordens principalmente de Crânio, Coluna e Pelve que estejam prejudicando de forma direta ou indireta o fluxo do Líquor. Para tal, a técnica realiza procedimentos com o uso de blocos (específicos), procedimentos manuais de alta ou baixa velocidade e manipulação de tecidos moles; Todos esses procedimentos são realizados para reverter o processo que causa a Subluxação.

Segundo os estudos de DeJarnette, o corpo humano segue determinados padrões de subluxação, os quais ele dividiu em 3, denominando-os de Categorias I, II e III, sendo que cada categoria possui condições mais comuns à ela.

As Categorias:

Segundo DeJarnette, todas as pessoas já nascem como uma Categoria I, caracterizada por uma distorção das meninges que altera o fluxo do Líquor gerando prejuízos bioquímicos no Sistema Nervoso Central, afetando os impulsos nervosos gerando assim desequilíbrio na comunicação com os demais sistemas e órgãos.

Todo esse complexo de alterações geram sinais e sintomas característicos da Categoria I, sendo alguns deles: Insônia, dores lombares, problemas na pele, problemas de pressão sanguínea (tanto alta quanto baixa), dentre outros.

Todo indivíduo que está na Categoria II, fora antes uma Categoria I, e o longo período sofrendo as alterações da Cat. I ou um trauma fez com que o padrão de comprometimentos evoluísse para uma Cat. II.

Esta categoria é caracterizada pela perda de estabilidade pélvica, uma sobrecarga da articulação Sacro-Ilíaca

Alguns dos sintomas de uma Categoria II são: Dor na região Lombo-Sacral e Art. Sacro-ilíaca, problemas de ATM, hipoglicemia, enxaqueca, torcicolo, câimbras, dentre outros.

Quando o corpo já não consegue mais lidar com os comprometimentos da Categoria II, o padrão então evolui para uma Categoria III. Para ser mais exato, a Categoria III ocorre quando as vértebras lombares mais baixas subluxam de tal maneira e há tanto tempo que os discos intervertebrais cedem herniando e comprimindo alguma raiz nervosa.

Assim, os principais sintomas de uma Categoria III são: Dor, sensação de queimação e/ou formigamento na parte posterior da perna, mau controle de intestino e bexiga, dentre outros.

O Quiropraxista devidamente qualificado em SOT avalia diferentes sinais e sintomas do paciente e realiza testes especificamente para o diagnóstico da Técnica (em alguma das categorias).

Em seguida, ele utilizará dos procedimentos citados acima (Blocos, manobras, etc.) para corrigir os aspectos da categoria, procurando permitir ao corpo do paciente a melhor recuperação o possível no melhor estado de equilíbrio o possível, permitindo assim que o paciente volte a ficar o mais saudável que seu corpo permitir.